O que fazer e o que não fazer com seu empréstimo: 9 dicas

O que fazer e o que não fazer com seu empréstimo: 9 dicas para aproveitar seu capital

o que fazer e o que não fazer com seu empréstimo

Parabéns! Você recebeu a boa notícia que muitos donos de empresas que precisam de capital desejam ouvir: você foi aprovado para um empréstimo empresarial. Mas, e agora? O que fazer e o que não fazer com seu empréstimo? Como aproveitar cada Real captado para fazer sua empresa crescer? O que não fazer? 

Se você está recebendo um empréstimo, seus fundos recém-adquiridos certamente ajudarão sua empresa a atingir metas, fazer alterações estratégicas importantes em diferentes áreas e continuar crescendo. 

Sua mente provavelmente está correndo com todas as possibilidades que esse dinheiro representa, mas, mesmo antes que o empréstimo atinja sua conta bancária, você precisa ter um plano bem pensado sobre o que fazer com esses fundos. Se você não pensou nisso antes, não tem problema. Você tem tempo para planejar, mesmo depois de ter recebido o valor solicitado. Só não saia gastando antes de se organizar. 

Antes de qualquer coisa, lembre-se: receber o dinheiro em sua conta pode ser o fim do processo de pedido de empréstimo, mas é o começo do que esperançosamente será um futuro próspero e voltado para o crescimento.

Agora, com esses pontos gerais em mente, seguimos com 9 dicas sobre o que fazer e o que não fazer com seu empréstimo. Começando com  que fazer, acompanhe as sugestões de nossos especialistas em empréstimo. 

O que fazer e o que não fazer com seu empréstimo: como você deve agir

Neste guia com o que fazer e o que não fazer com seu empréstimo vamos começar apresentando algumas boas práticas de comportamentos desejados para quem acabou de pegar um empréstimo financeiro. Lápis e papel na mão! 

1. Mantenha o dinheiro em uma conta separada

Se você estiver usando seus fundos de empréstimo para cobrir despesas e compras operacionais contínuas, talvez queira colocar o dinheiro em outro lugar que não seja a conta bancária principal do seu negócio.

Essencialmente fingindo que o dinheiro não está lá, e apenas transferindo dinheiro conforme necessário, o objetivo dessa atitude é evitar gastos excessivos e controlar melhor a saída de capital.

O pensamento é o seguinte: se você tem que transferir dinheiro de uma conta para outra – especialmente se for com bancos diferentes – você vai pensar muito antes de tomar essa decisão.

2. Faça um planejamento e uma planilha de previsão de gastos 

Nos tópicos a seguir, vamos listar alguns dos investimentos possíveis, que podem trazer retorno financeiro para sua empresa, e que estão na lista positiva do que fazer e o que não fazer com seu empréstimo, entretanto, antes de seguir qualquer dica, é importante que você vá construindo um plano de gastos, antes de efetivamente, “gastar” esses valores. 

Coloque em uma planilha cada item importante e o valor necessário em cada tópico. Tente ser o mais detalhista possível, indicando exatamente:

  • o que vai ser comprado;
  • o valor cotado. 

Indique também o nível de prioridade desse investimento e, se possível, realize uma previsão de retorno sobre investimento

Isso tudo ajuda você a entender o que pode trazer mais retorno para sua empresa a curto, médio e longo prazo, e é fundamental para tomar uma decisão final. 

3. Analise o seu estoque

Para faturar você precisa vender e para vender você precisa de produtos em estoque (a não ser que você seja uma empresa de serviços). 

Um empréstimo pode fornecer fluxo de caixa para permitir reabastecer o estoque existente e comprar novo estoque no momento mais oportuno. 

Um novo inventário atualizado amplia o alcance e o apelo da sua gama de produtos, o que, esperamos, levará a que mais clientes fiquem mais felizes e confortáveis em escolher sua empresa.

As lojas de varejo são um excelente exemplo de empresas que podem se beneficiar de investimento do capital em estoque. 

Entretanto, é importante que você tenha um controle de estoque efetivo para realmente saber o que comprar e quando comprar. Investir todo o valor do empréstimo em um estoque que não vende pode significar ainda mais problemas do que você já tinha! 

Para saber por onde começar, indicamos que acesse o artigo;Como fazer um bom controle de estoque com 7 dicas certeiras”. 

4. Organize seus equipamentos

Dentro do que fazer e o que não fazer com seu empréstimo, você pode decidir comprar máquinas ou veículos para ampliar a capacidade do seu negócio ou para atualizar os existentes e, assim, aumentar sua eficiência.

As empresas de logística podem se beneficiar com o aumento do tamanho de sua frota ou com a substituição de veículos por modelos mais eficientes. Os benefícios incluem:

  • máquinas mais eficazes;
  • uma frota mais eficiente;
  • custos reduzidos de manutenção. 

Assim como a opção de aumentar seu estoque, neste caso é importante que você compreenda a real necessidade desse investimento. Na verdade, como se trata de valores significativos, é provável que você já tenha feito essa análise anteriormente. 

5. Invista em Marketing

Atrair novos clientes e manter os clientes fiéis é uma meta de praticamente todos os negócios, por isso, investir em marketing pode ser uma boa resposta sobre o que fazer e o que não fazer com seu empréstimo. 

Com um empréstimo para pequenas empresas, você pode decidir:

  • contratar novos funcionários para aumentar sua capacidade de marketing interno (cuidado isso pode gerar custos fixos altos);
  • contratar uma agência de marketing terceirizada (boa ideia!);
  • investir em software e sistemas de marketing automatizado (excelente, em parceria com a opção acima);
  • fazer anúncios pagos em plataformas como Google Adwords, Facebook, Instagram e/ou Linkedin Ads;
  • criar ou melhorar seu site ou e-commerce, e mais. 

Quase qualquer negócio pode se beneficiar do aumento de seus gastos com marketing!

Leia também: Marketing digital para ecommerce: o que há além do Ads

Os benefícios incluem:

  • maior visibilidade da marca;
  • melhores percepções de marketing;
  • maior alcance de público;
  • uma maior chance de gerar retorno sobre o investimento (ROI).

6. Continue cortando custos e planejando seu orçamento

Não deixe que esse grande saldo de conta bancária suba à sua cabeça. Continue a economizar dinheiro, reduza seu orçamento e planeje o futuro de sua empresa, mesmo que agora tenha fundos para cobrir suas despesas. 

Não assuma que uma vez que você tenha financiamento, está tudo pronto. Outra grande oportunidade ou problema pode se apresentar amanhã. Esteja sempre antecipando necessidades de financiamento futuras e procure oportunidades para reduzir o custo de empréstimos e operacionais.

Quaisquer economias que você gerar devem entrar em seu fundo de reserva.

O que não fazer com seu empréstimo: principais erros que você deve evitar

Agora que você já sabe o que fazer com seu empréstimo, vamos ao que não deve ser feito!

7. Gastar só porque você pode

Há provavelmente pelo menos uma dúzia de pequenas despesas que seus novos fundos de empréstimo poderiam ajudar a cobrir. Você tem um plano para a maior parte desse dinheiro, e você pode pensar que gastar R$ 50 aqui ou R$ 100 ali não vai atrapalhar muito sua estratégia financeira. No entanto, esses pequenos custos se somam, e antes que você perceba, você pode se encontrar de volta na posição de estar com pouco dinheiro.

Não caia nessa armadilha ou terá mais problemas do que soluções com o empréstimo. 

Crie bons controles operacionais, verificações e balanços para monitoramento de caixa.

8. Não prestar atenção às suas finanças

Um dos maiores erros de gerenciamento de dinheiro nas pequenas empresas é simplesmente deixar de observar seus gastos e renda.

A maioria dos empreendedores entra no mundo dos negócios porque eles têm paixão pelo produto ou serviço, não porque querem passar o dia todo olhando para uma planilha ou um painel do sistema de contabilidade. Mas, a menos que você preste atenção ao dinheiro, não será capaz de colocar o seu produto ou serviço na frente do público, por muito tempo.

Os proprietários de empresas devem ter um dia designado por semana, mês ou trimestre para verificar suas faturas e analisar as projeções de fluxo de caixa em relação ao volume real de negócios.

9. Não ter um plano para o capital investido

Como falamos acima, o ideal é que antes de solicitar o empréstimo você tenha um plano consolidado do que fará com esse valor. Somente assim você garante que estará solicitando a quantidade de capital necessária – nem mais nem menos. 

Se você não realizou essa etapa antes de conseguir seu empréstimo, você pode organizar as finanças depois de ter o dinheiro em sua conta. Então liste tudo o que deseja fazer e organize por prioridades. 

Coloque cada centavo em seu planejamento e siga seu plano à risca, evitando distrações e gastos. 

Resumindo, pense com cuidado em como você está gastando o dinheiro. Agora que seus fundos estão em mãos, você os está usando para tornar sua configuração existente mais eficiente ou produzir um novo produto? Você está contratando pessoal? Você expandirá para um novo mercado ou instalações maiores para poder atender mais clientes?

Lembre-se, um empréstimo é uma ferramenta para ajudar a expandir seus negócios. Use-o com sabedoria, cuide dele e considere-o um passo no caminho para o seu sucesso futuro nos negócios.

Organize-se 

Você pode conseguir o montante que precisava para escalar seu negócio e fazer o que você acredita ser necessário para dar um salto rumo ao sucesso, entretanto, com dinheiro em mãos outro obrigação surge: saber administrá-lo. 

Assim como na sua casa, não adianta apenas ganhar o salário do mês, é preciso saber onde e quando gastar. Sem isso contas importantes podem ficar em aberto, gastos desnecessários podem “comer” seu orçamento e uma bola de neve pode se formar sobre sua cabeça. 

É importante que o empreendedor tenha noções mais consolidadas sobre organização financeira do seu negócio e para isso, vamos finalizar este conteúdo indicando o artigo; “Administração do capital de giro: tudo o que você precisa saber”. Acredite, ele é fundamental para quem acabou de receber um empréstimo. 

A GYRA+ é uma plataforma que tem como propósito a democratização de crédito para pequenas e médias empresas online através do uso da tecnologia e compartilhamento das informações. A ideia é reconhecer o esforço do empresário online e oferecer crédito de forma rápida, eficiente e segura, sem a burocracia dos grandes bancos.

Podemos te ajudar? Então, acesse nosso site e converse com nossa equipe.