O que é a gestão do capital de giro + estratégias para fazer

O que é a gestão do capital de giro e porque você deve fazer na sua empresa

o-que-e-gestao-capital-giro

A gestão do capital de giro envolve a relação entre os ativos de curto prazo da empresa e seus passivos de curto prazo. Seu objetivo é assegurar que um negócio seja capaz de continuar suas operações e que tenha capacidade suficiente para satisfazer tanto a dívida de curto prazo em vencimento quanto às despesas operacionais futuras.

A gestão do capital de giro envolve o gerenciamento de estoques, contas a receber e a pagar e dinheiro. Vamos entender melhor o que é a gestão do capital de giro, seu objetivo e a importância de realizar esse projeto corretamente.

O que é a gestão do capital de giro?

O termo “gestão do capital de giro” refere-se principalmente aos esforços da administração de um empresa em direção aos gerenciamento eficaz dos ativos circulantes e passivo circulante.

O capital de giro nada mais é do que a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante. Em outras palavras, uma gestão eficiente do capital de giro significa garantir liquidez suficiente nos negócios para poder satisfazer as despesas e dívidas de curto prazo.

Em uma visão mais ampla, a administração do capital de giro inclui o financiamento de capital de giro, além de gerenciar os ativos e passivos atuais.

Isso adiciona a responsabilidade de organizar o capital de giro ao menor custo possível e utilizar o capital de maneira econômica.

Objetivos da gestão do capital de giro

gestao-capital-giro

Os principais objetivos da gestão de capital de giro incluem o seguinte:

  • Ciclo de operação suave: o principal objetivo da gestão do capital de giro é garantir um ciclo operacional tranquilo. Isso significa que o ciclo nunca deve parar pela falta de dinheiro, seja para comprar matérias-primas, salários, pagamentos de impostos, etc.
  • Capital de giro baixo: para atingir o bom ciclo operacional, também é importante manter a necessidade de capital de giro no nível mais baixo. Isso pode ser alcançado por termos de crédito favoráveis ​​com contas a pagar e receber, ciclo de produção mais rápido, gerenciamento eficaz de estoque, etc.
  • Minimizar a taxa de juros ou o custo do capital: É importante entender que o custo dos juros do capital é um dos maiores custos em qualquer empresa. A administração da empresa deve negociar bem com as instituições financeiras, selecionar o modo correto de financiamento, manter a estrutura de capital ideal etc.
  • Bom retorno do Investimento de Ativos Correntes: Em muitos negócios, você tem uma crise de liquidez em um ponto do tempo e excesso de liquidez em outro. Isso acontece principalmente com as indústrias sazonais. No momento do excesso de liquidez, a administração deve ter boas oportunidades de investimento de curto prazo para se beneficiar dos fundos ociosos.

Importância de uma gestão do capital de giro efetiva

Embora a importância do capital de giro seja inquestionável em qualquer tipo de negócio. A gestão do capital de giro é uma atividade do dia a dia, ao contrário das decisões de orçamento de capital.

Mais importante ainda, ineficiências em qualquer nível de gestão têm um impacto sobre o capital de giro e sua gestão. A seguir, os principais pontos que indicam por que é importante levar a sério a gestão do capital de giro:

  • Garante maior retorno sobre o capital;
  • Melhora no perfil de crédito e solvência;
  • Aumenta a lucratividade;
  • Melhora a liquidez;
  • Apreciação do valor de negócio;
  • Termos de financiamento mais adequados;
  • Produção livre de interrupção;
  • Prontidão para choques e demanda de pico;
  • Vantagem sobre os concorrentes.

Decisões de gestão do capital de giro

Se alguém descrever os benefícios da gestão do capital de giro em termos de dinheiro, provavelmente seria o custo de capital que uma empresa paga pelo investimento em capital de giro.

O montante desse custo dependerá de duas coisas: a quantidade de capital de giro necessário e o custo do capital de giro.

A quantidade de capital de giro é decidida pelas políticas de capital de uma empresa, enquanto a otimização do custo de capital é trabalhada com as estratégias de gerenciamento de capital de giro.

Nível e modo de financiamento

Os dois principais fatores que determinam a quantidade de capital de giro que uma empresa deve manter são liquidez e rentabilidade. Vamos entender o impacto desses dois fatores em detalhes.

Ninguém nega a importância da liquidez, mas a maioria tem dúvidas de quanto essa liquidez deveria ser? Quais são os níveis corretos de liquidez?

Sabemos que uma empresa não pode ter liquidez ilimitada ou muito alta, porque maior liquidez significa maior investimento em capital de giro. E maior investimento em capital de giro significa maior custo de capital, custo de juros no caso financiado por financiamento bancário.

Portanto, a maior liquidez tem um impacto direto na lucratividade à medida que o custo de capital aumenta. Em essência, a relação entre liquidez e rentabilidade é inversa.

Por um lado, maior liquidez suficiente é o principal objetivo da gestão do capital de giro. Por outro lado, a rentabilidade como objetivo alinha-se com o objetivo geral de uma organização, ou seja, a maximização da riqueza.

Com isso, fica claro que a política que uma organização segue cairia entre esses pilares. Pode haver políticas que são inclinadas para a liquidez e outras podem estar voltadas para a lucratividade. É então uma decisão de gerenciamento onde elas querem colocar a política da organização.

Políticas de gestão do capital de giro

As políticas de gestão do capital de giro lidam com o fator quântico, ou seja, quanto dos ativos atuais deve ser mantido? Essas políticas, em essência, são diferentes níveis de troca entre liquidez e rentabilidade.

Teoricamente, explicam-se três tipos de políticas, ao passo que podem haver um número de apólices dependendo de onde a compensação está entre a liquidez e a lucratividade.

  1. Política Relaxada/Política Conservadora – Esta política tem um alto nível de ativos correntes mantidos para honrar o passivo circulante. Aqui, a liquidez é muito alta e o impacto direto na lucratividade também é alto.
  2. Política Restrita/Política Agressiva – Esta política possui um nível mais baixo de ativos atuais. Aqui, os níveis de liquidez são muito baixos, portanto, o impacto direto na lucratividade também é baixo.
  3. Política Moderada – Situa-se entre a política conservadora e agressiva.

Estratégias de gestão do capital de giro

beneficios-gestao-capital-giro

As estratégias de gestão do capital de giro lidam com o fator custo de capital. A questão é: como os custos de capital são otimizados? Uma empresa tem a opção de escolher entre fontes de capital de curto prazo e de longo prazo.

Normalmente, os fundos de curto prazo são mais baratos a longo prazo, mas mais arriscados. Os fundos de curto prazo são arriscados em termos de refinanciamento e risco de aumento das taxas de juros.

Uma vez maduros, eles não podem ser refinanciados pela mesma instituição financeira e existe a possibilidade de revisão na taxa de juros toda vez que eles são renovados.

Vamos dividir o investimento de capital de uma empresa em dois, ou seja, investimento em ativos fixos e investimento em capital de giro. Vamos assumir com segurança que os fundos de longo prazo financiam os ativos fixos.

Agora resta o capital de giro. Vamos dividir ainda mais o capital de giro em dois, ou seja, capital de giro permanente e temporário. A natureza do capital de giro permanente é semelhante aos ativos fixos, ou seja, que o nível de investimento em trabalho está sempre presente e a parte restante continua flutuante.

As estratégias de gestão do capital de giro definem como esses dois tipos de capital de giro são financiados.

  • Estratégia de Hedging – Esta estratégia segue o princípio de financiamento, ou seja, fundos de longo prazo para financiar ativos de longo prazo e vice-versa. Nessa estratégia, os vencimentos das moedas são confrontados com o vencimento do seu instrumento de financiamento. Não possui nenhuma proteção ou flexibilidade em caso de atraso na realização dos ativos circulantes. Embora seja uma estratégia muito ideal, envolve um alto risco de falência.
  • Conservador – É uma estratégia mais segura onde, além de financiar todo o capital de giro permanente, também financia parte do capital de giro temporário.
  • Agressivo – É uma estratégia de alto risco onde, além de financiar todo o capital de giro temporário, também financia parte do capital de giro permanente.

Vantagens e desvantagens da gestão do capital de giro

Vantagens

  • A gestão do capital de giro garante liquidez suficiente quando necessário;
  • Evita interrupções nas operações;
  • Maximiza a rentabilidade;
  • Alcança melhor saúde financeira;
  • Desenvolve vantagem competitiva devido a operações simplificadas.

Desvantagens

  • Considera apenas fatores monetários. Existem fatores não-monetários que são ignorados, como a satisfação do cliente e do funcionário, a política do governo, a tendência do mercado etc;
  • Dificuldade em acomodar mudanças econômicas súbitas;
  • Dependência muito alta nos dados. Uma organização menor pode não ter essa geração de dados;
  • Muitas variáveis ​​para manter em mente como taxas atuais, taxas rápidas, períodos de coleta, etc.

A gestão do capital de giro pode ser feita com eficiência se você entende sua importância e mantém a casa em ordem, dentro da sua realidade de trabalho.

Conheça a estrutura da Gyra+ que realiza financiamentos online para empreendedores digitais. Em três passos simples você pode ter aquela grana que precisa para investir mais no seu negócio:

  • indique o valor de empréstimo que precisa, em quanto tempo deseja pagar e seu e-mail;
  • conecte sua conta do Mercado Livre, Bling ou Skyhub;
  • a análise será realizada e, se aprovada, o dinheiro cai em até 72h na sua conta.

Faça uma avaliação no simulador de financiamento para empresas e descubra o crédito que cabe no seu negócio.