Regras de marketplace que você precisa seguir para vender

Regras de marketplace: o que você precisa saber para vender

regras-marketplace

Atualmente, vender um produto na internet é muito mais fácil. Principalmente com grandes sites que abriram sua infraestrutura para pequenos e médios empreendedores. Mas antes de escolher um é importante entender, primeiro, as regras do marketplace para não cometer infrações.

A falta de informação pode levar a problemas sérios como infrações de propriedade intelectual, falsificações etc.

Então se você quer empreender online, continue lendo este post e conheça as regras dos principais marketplaces nacionais.

Regras de marketplace: tudo que você precisa saber

Marketplace B2W

O grupo B2W gerencia três grandes sites nacionais:

  • Americanas.com
  • Shoptime
  • Submarino

Juntos eles recebem mais de 21 milhões de visitantes únicos por mês, com mais de 1 milhão de SKUs e 2,4 milhões de pedidos mensais.

Para vender na B2W é preciso seguir as seguintes regras do marketplace:

– Ter CNPJ ativo e sem restrições;

– Possuir CNAE de Varejista;

– Ter inscrição no Sintegra (exceto MEI, que não é obrigado a ter inscrição estadual);

– Ter conta corrente associada ao CNPJ cadastrado para recebimento dos pagamentos;

– Ter Capital Social igual ou superior a R$ 1.000.

Você pode aprender como vender na B2W neste outro post no blog. Nele você vai saber mais sobre os requisitos para se cadastrar no site e como ter um bom desempenho nas vendas.

Se você seguir todas as regras do marketplace do post acima, você vai fechar vendas e precisará se atentar às regras de envio. Na B2W existem as seguintes opções:

  • B2W Entrega – serviço do marketplace em parceria com os Correios: para para produtos dentro das dimensões dos Correios.
  • Para produtos fora das dimensões dos Correios (cubagem de 200 cm3 e/ou acima de 30 Kg): o vendedor é responsável por acompanhar as fases desde entregar o produto ao transportador, informar o código de rastreio no Portal Parceiro e acompanhar a entrega até o cliente final.

Já para os produtos, não existe um número limite de cadastro que podem ser feitos. Seja você um vendedor de nicho ou de produtos variados, é importante manter o estoque sempre abastecido e atualizado no site.

Ao enviar produtos originais como eletrônicos, eletrodomésticos, alimentos e itens de cama, mesa e banho a recomendação é manter todas as embalagens originais e apenas fazer uma embalagem exterior, apropriada para a entrega do produto na transportadora. Jamais retire os produtos da embalagem original.

E a emissão de nota fiscal dos produtos comprados pelo cliente é obrigatória e indispensável.

A NF deve conter todos os dados da empresa, como CNPJ, razão social, endereço, as informações relativas aos produtos vendidos e deve ser emitida pelo valor total pago pelo cliente. Além disso é essencial realizar a emissão da NF-e, que é a versão eletrônica da nota fiscal.

Marketplace Via Varejo

Outro grande marketplace é o Via Varejo (antigo Cnova) responsável pelas operações dos seguintes sites:

  • CasasBahia.com
  • PontoFrio.com
  • Extra.com
  • Barateiro.com

Segundo dados da empresa são 25 milhões de acessos únicos mensais, 1 milhão de pedidos registrados e 1,4 milhões de vendas.

As regras do marketplace não estão abertas publicamente. Os vendedores interessados em vender na plataforma devem preencher um formulário de contato manifestando interesse e aguardar o retorno da equipe sobre sua proposta.

Como regras iniciais para ser vendedor estão:

  • Estar habilitado para emitir Nota Fiscal Eletrônica (NFe);
  • Ter uma conta jurídica vinculada ao CNPJ que será cadastrado;
  • Não vender produtos de conteúdo sexual e armamentos de fogo.

Marketplace Netshoes

O grupo Netshoes é o administrador responsável por dois sites referência em vendas de calçados sociais e esportivos:

  • Netshoes.com.br
  • Zattini.com.br

Os dois recebem juntos 54 milhões de visitas únicas por mês e são reconhecidos como o varejo número 1 em fãs na América Latina, com 9,4 milhões de seguidores no Facebook.

A Netshoes tem exigências maiores de entrada para vendedor do grupo. O lojistas iniciantes podem ter mais dificuldades de se adequarem às regras do marketplace que são:

  • Ter uma loja virtual ou marca própria;
  • Ter fotos com fundo branco ou cinza na loja virtual;
  • Possuir uma operação madura de e-commerce (avaliação e-bit, página no Reclame aqui);
  • Ter os seguintes documentos: Contrato Social/Requerimento do Empresário; Certidão do Sintegra e Documento bancário vinculado ao CNPJ;
  • Ter CNPJ/varejista – Com liberação para faturar itens de acordo com o que o parceiro se propôs a vender;
  • Emitir nota fiscal.

Magazine Luiza

O Magazine Luiza é outro gigante do varejo brasileiro que possui sua própria plataforma de marketplace. O site da empresa recebe 35 milhões de acessos únicos e mais de 220 mil itens no portfólio.

As regras do marketplace para se cadastrar são especificadas durante o passo a passo que o vendedor segue no próprio site.

Em relação a infraestrutura de utilização, o Magazine Luiza destaca as regras em relação a produtos e marcas que não são aceitas marketplace. Essas só podem ser feitas por venda direta ou por vendedores licenciados.

A lista de produtos que a venda é proibida são:

  • consoles da Microsoft e da Sony;
  • produtos da marca JBL (todos os itens);
  • Google Chromecast.

Já as marcas que não podem ser comercializadas no marketplace estão:

  • Carolina Herrera;
  • Lancôme;
  • Redken;
  • Antonio Banderas;
  • L’Oréal Professionnel;
  • Yves Saint Laurent;
  • Paco Rabanne;
  • Cacharel;
  • Giorgio Armani;
  • Shiseido;
  • Azzaro;
  • Clarin;
  • Benetton;
  • Juliana Paes;
  • ClarinsMen;
  • Givenchy, dentre outros.

Confira neste link a lista completa. Outras regras do marketplace do Magalu para se cadastrar são:

– Possuir cadastro no CNPJ;

– Ter pelo menos 6 meses de existência;

– Não ter seu nome envolvido em processos;

– Ter capacidade de atender aos pedidos e fazer as entregas via transportadora ou Correios nos prazos acordados com o cliente;

– Ser bem avaliada nos principais sites de relacionamento com o cliente e redes sociais;

– Ter conta corrente de recebimento vinculada ao CNPJ de assinatura do contrato.

Marketplace Mercado Livre

O Mercado Livre é um dos marketplaces mais usados do Brasil e com uma estrutura que atende bem os pequenos vendedores.

O ML é líder de acesso com mais de 154 milhões de usuários registrados, 28 mil categorias e mais de 6 compras por segundo.

E como um dos mais usados, as regras do marketplaces oferecem diversas condições e cabe ao vendedor analisar e escolher as que melhor se encaixarem para seu sistema de vendas.

Entre as regras de envio, o vendedor pode optar pelo Mercado Envios (um serviço do ML e parceria com os Correios) ou despachar para o comprador por conta própria.

Com o Mercado Envios, todas as suas vendas a partir de R$ 120 têm frete grátis e o ML paga até 50% do custo desses envios.

Para entregar por conta própria, é responsabilidade do vendedor embalar, colocar o endereço correto, fornecer o código de rastreio, caso seja Correios, e guardar o comprovante de entrega do envio (Aviso de Recebimento – AR) ou da empresa de transporte na qual foi registrado o endereço e a data de envio.

O Mercado Livre segue a legislação nacional e proíbe a venda no site de drogas, medicamentos com receita médica, animais em risco de extinção etc. Outras categorias de produtos proibidos são:

  • Tabaco e produtos relacionados
  • Celulares e serviços para celulares em desacordo com a lei
  • Armas, munições e material explosivo
  • Máquinas sem equipamentos de segurança
  • Narcóticos e substâncias proibidas
  • Propriedade roubada
  • Ossos, órgãos e membros humanos
  • Flora, fauna e derivados
  • Fogos de artifício
  • Produtos e serviços financeiros
  • Passagens aéreas, milhas ou pontos de companhias aéreas e pacotes turísticos
  • Listas de e-mail e base de dados pessoais, dentre outros.

É importante ter certeza antes de anunciar porque, além do Mercado Livre finalizar os anúncios que não cumprem com as políticas, cada infração fica registrada em um histórico e a conta do vendedor pode ser suspensa.

Além de escolher o método de envio e se certificar de vender os produtos permitidos, é importante enviar notas fiscais junto de todos os pedidos. Para isso o requisito básico é ter um CNPJ e um certificado digital para gerar suas NF-e.

Nova regulamentação do Banco Central para marketplaces

Desde setembro de 2018, os marketplaces devem seguir novas regras estabelecidas pelo Banco Central.

A norma estabelece a integração dos marketplaces à Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP). A nova regra é válida apenas para os marketplaces que se envolvem no fluxo financeiro entre o comprador e o vendedor. Ou seja, aquelas empresas que recebem o pagamento da venda e são responsáveis por repassar o dinheiro ao vendedor.

Essa é uma medida para evitar o efeito bola de neve em que um fornecedor não paga o outro, que deixa de quitar o pagamento com o seguinte e assim por diante.

A nova regra é válida apenas para marketplaces que movimentaram mais de R$ 500 milhões no último ano.

Essas são as regras de marketplaces de alguns dos principais grupos de vendas pela internet do Brasil. Se você planeja começar a vender online, faça o dever de casa e tire todas as dúvidas com a empresa para que nada seja mal compreendido.

E se você precisa de capital para investir no seu negócio conheça a estrutura da Gyra+ que realiza financiamentos online para empreendedores digitais.

Em três passos simples você pode ter aquela grana que precisa para investir mais no seu negócio:

  • indique o valor de empréstimo que precisa, em quanto tempo deseja pagar e seu e-mail;
  • conecte sua conta do Mercado Livre, Bling ou Skyhub;
  • a análise será realizada e, se aprovada, o dinheiro cai em até 72h na sua conta.

Faça uma avaliação no simulador de financiamento para empresas e descubra o crédito que cabe no seu negócio.